Como dizia o Comandante…

Ω

Na vida espiritual nada recebemos de graça, do necessário ao nosso progresso, desde quando, como homens, conquistamos o livre-arbítrio e a capacidade da razão.

Para que haja mérito é necessário que o nosso esforço seja feito com autodeterminação, visando um fim justo e nobre, no campo fecundo do amor universal.

E as armas para essa luta são, duma parte, o conhecimento da vida espiritual, das responsabilidades individuais que ela acarreta e, de outra, a orientação perfeita das atividades no sentido do Bem.

Tudo isso as escolas espíritas de evangelização oferecem aos seus aprendizes e assim os armam de recursos preciosos para a conquista de uma vitória certa, através de uma vida útil, dignificante, tendo o Evangelho como norma de ação.

Nela ingressando estarão eles construindo por si mesmos um futuro de radiosa felicidade espiritual.

E para isso é que viemos ao mundo, a saber: para nos espiritualizarmos.

Enquanto é tempo – Cap. 58

 

Anúncios