Ano Novo

2017-3d-j709

Ano Novo é também renovação de nossa oportunidade de aprender, trabalhar e servir…

…Novo Ano! Novo Dia!

Sorri para os que te feriram e busca harmonia com aqueles que te não entenderam até agora.

Recorda que há mais ignorância que maldade, em torno de teu destino.

Não maldigas, nem condenes.

Auxilia a acender alguma luz para quem passa ao teu lado, na inquietude da escuridão.

Não te desanimes, nem te desconsoles.

Cultiva o bom ânimo com os que te visitam, dominados pelo frio do desencanto ou da indiferença.

Não te esqueças de que Jesus jamais se desespera conosco e, como que oculto ao nosso lado, paciente e bondoso, repete-nos de hora a hora:

– Ama e auxilia sempre. Ajuda aos outros, amparando a ti mesmo, porque se o dia volta amanhã, eu estou contigo, esperando pela doce alegria da porta aberta de teu coração.

Emmanuel/ Chico Xavier – Vida e Caminho
Anúncios

Livro Ação e Reação – “Resgate Coletivo”

aoereaofr

119. O caso Ascânio e Lucas – Para ilustrar melhor o tema “resgate coletivo”, Druso relatou a seguinte experiência: “Há trinta anos, des­frutei o convívio de dois benfeitores, a cuja abnegação muito devo neste pouso de luz. Ascânio e Lucas, Assistentes respeitados na Esfera Superior, integravam-nos a equipe de mentores valorosos e amigos… Quando os conheci em pessoa, já haviam despendido vários lustros no amparo aos irmãos transviados e sofredores. Cultos e enobrecidos, eram companheiros infatigáveis em nossas melhores realizações. Acontece, porém, que depois de largos decênios de luta, nos prélios da fraterni­dade santificante, suspirando pelo ingresso nas esferas mais elevadas, para que se lhes expandissem os ideais de santidade e beleza, não de­monstravam a necessária condição específica para o voo anelado. Total­mente absortos no entusiasmo de ensinar o caminho do bem aos semelhan­tes, não cogitavam de qualquer mergulho no pretérito, por isso que, muitas vezes, quando nos fascinamos pelo esplendor dos cimos, nem sem­pre nos sobra disposição para qualquer vistoria aos nevoeiros do vale… Dessa forma, passaram a desejar ardentemente a ascensão, sen­tindo-se algo desencantados pela ausência de apoio das autoridades que lhes não reconheciam o mérito imprescindível”. Druso disse então que, chamados a exame devido, técnicos do Plano Superior lhes reconduziram a memória a períodos mais recuados no tempo. Diversas fichas de obser­vação foram extraídas, então, do campo mnemônico, à maneira das ra­dioscopias dos atuais serviços médicos no mundo e, através delas, im­portantes conclusões surgiram à tona… Ascânio e Lucas possuíam, efe­tivamente, créditos extensos, adquiridos em quase cinco séculos suces­sivos; no entanto, quando a gradativa auscultação alcançou o século XV, algo surgiu que lhes impôs dolorosa meditação… “Arrebatadas ao arquivo da memória e a doer-lhes profundamente no espírito, depois da operação magnética a que nos referimos – informou Druso –, reapare­ceram nas fichas mencionadas as cenas de ominoso delito por ambos co­metido, em 1429, logo após a libertação de Orleães, quando formavam no exército de Joana d’Arc… Famintos de influência junto aos irmãos de armas, não hesitaram em assassinar dois companheiros, precipitando-os do alto de uma fortaleza  no território de Gâtinais, sobre fossos imundos, em­briagando-se nas honrarias que lhes valeram, mais tarde, torturantes remorsos além do sepulcro.” Nesse ponto, inquiridos se de­sejavam pros­seguir na sondagem singular, responderam negativamente, preferindo li­quidar a dívida, antes de novas imersões no passado. (Cap. 18, pp. 247 e 248)

Questões preliminares

A. Ascânio e Lucas também se submeteram, por expiação, a um desastre aviatório. Que fatos motivaram esse desastre?

Druso explicou que, submetendo-se eles à regressão da memória, viram algo ocorrido no século XV que lhes impôs dolorosa meditação – as cenas de ominoso delito por ambos cometido em 1429, logo após a libertação de Orleães, quando formavam no exército de Joana d’Arc. Famintos de influência junto aos irmãos de armas, não hesitaram em assassinar dois companheiros, precipitando-os do alto de uma fortaleza no território de Gâtinais, sobre fossos imundos, em­briagando-se nas honrarias que lhes valeram, mais tarde, torturantes remorsos além do sepulcro. Chegados a esse ponto, inquiridos se de­sejavam pros­seguir na sondagem singular, responderam negativamente, preferindo li­quidar a dívida, antes de novas imersões no passado. (Ação e Reação, cap. 18, pp. 247 e 248.)

B. Como se deu, da parte deles, a opção pelo desastre aviatório?

Ascânio e Lucas suplicaram o retorno ao campo dos homens, com o objetivo de quitar o débito alu­dido. Como podiam escolher o gênero de provação, em vista dos recursos morais já amealhados no mundo íntimo, optaram por tarefas no campo da aeronáutica, a cuja evolução ofereceram suas vi­das, sofrendo, então, a mesma queda mortal que infligiram aos companheiros de luta no século XV. (Obra citada, cap. 18, pp. 249 a 251.)

C. Nossas condições espirituais têm influência sobre a saúde do corpo físico?

Sim. Existe íntima correspondência entre nos­sos estados espiri­tuais e as formas de que nos servimos. Segundo Druso, todo mal por nós praticado conscientemente expressa, de algum modo, lesão em nossa consciência e toda lesão dessa espécie determina distúrbio ou mutilação no organismo que nos exterio­riza o modo de ser. Em todos os planos do Universo, somos espírito e manifestação, pensa­mento e forma. Eis o motivo por que, no mundo, a Medicina há de consi­derar o doente como um todo psicossomático, se quiser realmente investir-se da arte de curar. (Obra citada, cap. 19, pp. 253 e 254.) 

Fonte:http://www.oconsolador.com.br

Obs: O livro pode ser adquirido na Livraria Yvonne do Amaral Pereira

https://jeronimomendonca.net/livraria/

Eles Estão Vivos

Ainda quando não reconheças, de pronto, semelhante verdade, eles te vêem e te escutam!

Quando possível, seguem-te os passos compartilhando-te problemas e aflições.

Compadece-te dos que te precederam na Grande Renovação!

Aqueles que viste partir de mãos desfalecentes nas tuas, doando os derradeiros pensamentos terrestres através dos olhos fitos nos teus, não estão mortos. Entraram em novas dimensões de existência, mas prosseguem de coração vinculado ao teu coração.

Assinalam-te o afeto e agradecem-te a lembrança, no entanto, quase sempre se escoram em tua fé, buscando em ti a força precisa para restauração espiritual que demandam.

Muitos deles, ainda inadaptados a vida diferente que são compelidos a facear, pedem serenidade em tua coragem e apoio em teu amor…

Outros, muitos, jazem mergulhados na bruma da saudade, detidos na sede de reencontro, ante as requisições continuadas dos teus pensamentos de angústia.

Outros muitos, seguem-te ainda. Aqueles que se despediram de ti, depois de longa existência, abençoando-te a vida… Os que amaste, indicando-lhes o caminho para as esferas superiores … Os que levantas-te para a luz da esperança e aqueles outros que socorreste um dia com o ósculo da amizade e da beneficiência. Todos te agradecem, estendendo-te os braços no sentido de te auxiliar a transpor as estradas que ainda te cabem percorrer.

Auxilia aos entes queridos na espiritualidade a fim de que te possam auxiliar!

Se lhes recorda a presença e o carinho, preenche o vazio Estudo e reuniões espiritas onlineque te impuseram à Alma, abraçando o trabalho que terão deixado de fazer. Sê a voz que lhes reconforte os seres amados ainda na Terra, a força que lhes execute o serviço de paz e amor que não terminaram, a luz para aqueles que lhes lastimam a ausência em recantos de sombra ou o amparo em favor daqueles que desejariam continuar sustentando no mundo!

Compadece-te dos entes queridos que te antecederam na Grande Libertação!

Chora, porque a dor é forte e, é fonte de energias renovadoras por dentro do coração, mas chora trabalhando e servindo, auxiliando e amando sempre !

E deixa que os corações amados, hoje no mais Além, te enxuguem as lágrimas, inspirando-te ação e renovação, porque, no futuro, tê-lo-ás a todos positivamente contigo nas alegrias do Novo despertar.

Autor: Emmanuel
Psicografia de Chico Xavier