Assim dizia o Comandante…

Opções Meritórias

O Espiritismo clássico, conhecido no caráter tríplice de doutrina científica, filosófica e de consequências religiosas, para se impor ao meio moderno deve oferecer tudo e nada pedir, porque o julgamento popular de hoje é muito objetivo e utilitário e o próprio materialismo o levou a isso.

Mas a casa espírita que endossar os rigores do Evangelho deve pedir aos seus adeptos o máximo de dedicação, porque não visa somente realizações sociais, mas transformações morais individuais indeclináveis. Por isso, o pouco que conseguir de conscientização do povo e realizações espirituais positivas é precioso, e representa o limite do que se pode exigir espiritualmente de uma humanidade retardada como a nossa, mormente quando trabalhada por agentes degenerativos de toda espécie.

Os expurgos violentos que são esperados provarão que não há outro meio de redenção senão a vivência do Evangelho de Jesus.

O esforço das casas espíritas deverá ser nitidamente apostólico e cristão, compreendido e sentido primeiramente por cada um de seus membros em seu próprio íntimo, cada um se apresentando para as responsabilidades do seu posto com espírito de humildade e desprendimento.

Essa opção poderá ser hoje entendida com ressalvas, mas amanhã será glorificada, e dignos de lástima os que a recusaram.

Isto, aliás, é o que usualmente sucede com as tarefas missionárias, individuais ou coletivas.

(Item 21 do Livro Na Semeadura II, Edgard Armond)

 

Intolerância – um perigo crescente

No último dia 21 de janeiro a Secretaria de Direitos Humanos (SDH) da Presidência da República realizou uma comemoração ao Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. O evento contou com a participação de uma entidade da classe de advogados da Comissão Especial de Direito e Liberdade Religiosa do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), representada pelo presidente Gilberto Garcia.

Ele defendeu a liberdade religiosa para todas as crenças e a importância da Rede de Proteção a Vítimas de Intolerância Religiosa (Reprovir) que, segundo o advogado, “será criada para resguardar todas as manifestações de fé lastradas no princípio constitucional do Estado laico brasileiro, que é a perspectiva que norteia a missão institucional do IAB”.

O Centro Espírita Auta de Souza, em Sobradinho II, região administrativa do Distrito Federal, sofreu um incêndio que destruiu parcialmente as dependências do centro e provocou ferimentos em uma vítima no dia 29 de janeiro de 2015. Um dos episódios recentes do Brasil que demostra a necessidade do país procurar formas de tratar as questões em torno da intolerância religiosa.

Publicado pela FEB

Na Cortina do Tempo

cortina_tempo_armond_capa

Excelente trabalho do Comandante ainda pouco conhecido do público em geral e, em especial, dos espíritas.

Na Cortina do Tempo é mais uma das obras de Edgard Armond que trata de conhecimentos da pré-história da humanidade terrestre, contando a história de um grupo de iniciados, sobreviventes ao afundamento da Atlântida, que conseguem preservar suas tradições religiosas resguardando-as à posteridade.

Além desta obra, o autor nos legou ainda Almas Afins e o best seller Os Exilados da Capela, que compõem uma trilogia sobre os
caminhos da humanidade.

Muitas outras obras, também de igual valor, foram resgatadas pela Editora Aliança e estão sendo publicadas numa coletânea denominada Série Edgard Armond.

O leitor ávido de conhecimentos certamente irá apreciá-la, enriquecendo significativamente sua vivência espiritual.

Procure nossa livraria e teremos imensa alegria em recebê-lo.