Razin

razin-trevo

Razin, mercador do oriente passava por Jerusalém, quando estranho ruído chegou aos seus ouvidos e como todos os outros que estavam a sua volta, se dirigiu para verificar o que acontecia. Vendo um homem que carregava a cruz do sacrifício, se assustou quando seus olhos se encontraram, era o mesmo semblante que visitava suas noites insones quando no convés de sua embarcação, admirava os astros que se refletiam nas águas do mar… eram os olhos que o miravam serenamente com um misto de amor e piedade… Quando desceram da cruz o corpo macerado pelo sofrimento percebeu que uma gota de sangue caiu na folha de um pequeno trevo. Guardou a plantinha na dobra de sua túnica. Quando soube da ressurreição procurou a túnica usada e encontrou o trevo petrificado de um verde extraordinariamente luminoso. Entendeu naquele momento que aquele era o símbolo da esperança e renovação do ser humano, incentivando os seus seguidores a trabalhar ativamente na Seara do Bem, para implantar na terra o Seu Reinado de Amor. A partir daí começou sua vida laboriosa na Casa do Caminho, dedicando-se ao Bem. Quando desencarnou encontrou todos aqueles que haviam sido beneficiados pelas suas revelações. Um dia Reunidos em Prece, receberam a visita do Sublime Redentor, que disse: – Razin, congrega as almas que despertaste para o amor do Pai e forma com eles um grupo fraternal, na ajuda aos homens de Boa Vontade, a organizar Escolas em que se preparem os discípulos do futuro. Assim foi formada a Fraternidade do Trevo no plano espiritual.

No final da década de 40, quando Edgard Armond dava início ao movimento de evangelização, Razin percebeu que havia uma notável identificação de ideais e passou então a orientar e apoiar definitivamente a iniciativa de Armond. Criou-se então em 06/05/1950 a Primeira Escola de Aprendizes do Evangelho, tendo como aprendiz nº1 o próprio Armond e como objetivo a renovação, evolução do ser humano através dos ensinamentos e exemplos de Jesus.

Para que a vivência cristã dos ensinamentos de Jesus continuasse após a conclusão do 3º ano da Escola de Aprendizes do Evangelho o Venerável Razin propôs então ao Armond a criação no plano Material da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, como uma extensão da Fraternidade do Trevo, tendo ambas o mesmo símbolo, a reforma íntima proporcionada pela Escola de Aprendizes do Evangelho como elo de ligação entre elas e o Sermão do Monte como o seu Estatuto Moral. Em 31/05/1952 foi criada a FDJ e sua inauguração foi em 04/03/1954 com o ingresso dos servidores da 1ª EAE. Na inauguração apresentaram-se várias fraternidades do espaço: Samaritanos, Irmãos da Esperança, Irmãos do México, Irmãos da China, Irmãos Humildes, Irmãos do Egito, Irmãos Indus, Irmãos do Tibete e Irmãos Essênios. Em 1992, depois de 10 anos do desencarne de Edgard Armond criou-se a FDJ no plano espiritual tendo como dirigente o próprio Edgar Armond.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s