O que é Sintonia Vibratória?

Veja aqui dois textos que nos dão uma boa ideia sobre o que significam as tão citadas palavras nos Centros Espíritas “sintonia” e “vibração”.

Fonte: Verdade e Luz, edição nº 302 . Março/2011 – Federação Espírita do Estado de Mato Grosso.

Márcia Pacciulio

Os termos vibração e sintonia são muito utilizados no meio Espírita. No entanto, será que compreendemos acertadamente o seu significado? Em Física, uma vibração é o movimento de um ponto oscilando em torno de outro ponto de referência. O exemplo de vibração mais simples e clássico é o movimento de vaivém que executa o pêndulo de um relógio de parede, lentamente.

Pois bem, esta é uma característica de todos os fluidos, quer se expressem como matéria grosseira ou eterizada. O movimento vibratório é representado por uma onda, que possui um comprimento e uma frequência peculiares para o tipo de fluido que lhe deu origem. Ou seja, quando se deslocam no espaço, os fluidos não o fazem de forma contínua, mas executam movimentos internos de vaivém, com comprimentos de onda e frequência específicos. Assim, estamos todos mergulhados em um oceano de ondas, provenientes de tudo a nossa volta, pois até mesmo partículas elementares do átomo, como os prótons e elétrons, ao se deslocarem, originam uma onda associada. Até mesmo nosso cérebro é um emissor de ondas mentais, pois que o pensamento é matéria sutilíssima produzida pela mente, sob o comando do Espírito.

Em Espiritismo, sintonia é a identidade vibratória das emissões mentais de dois ou mais espíritos, encarnados ou desencarnados. Sendo assim, estarão em sintonia vibratória as pessoas e espíritos que tiverem os pensamentos e sentimentos semelhantes, pois os fluidos que emanarem de ambos terão comprimentos de onda e frequência semelhantes também. Sabe-se hoje que os sentimentos são os responsáveis pelas características vibratórias dos pensamentos, ou seja, em sua origem os pensamentos são neutros, mas recebem o “tom vibratório” dos sentimentos que lhes dão um “colorido” específico, uma espécie de impressão digital do Espírito que é o emissor dos pensamentos. Dessa maneira, podemos facilmente deduzir de tudo o que expusemos até aqui, que a sintonia vibratória é a expressão física da afinidade espiritual entre as criaturas filhas de Deus, ou seja, decorrem de suas características morais, quais sejam: seus gostos; seus ideais; sua maneira de ver o mundo, as pessoas e Deus; sua forma de agir; seus sentimentos; etc.

Não há como evitarmos o fenômeno de sintonia. A todo o momento, estamos em sintonia vibratória com outras mentes, encarnadas ou desencarnadas. Temos, portanto, as companhias espirituais que se ajustam àquilo que somos e fazemos, automaticamente. Compreender o fenômeno de sintonia vibratória e aceitá-lo por natural e inevitável, ajuda-nos a melhor compreender os fenômenos mediúnicos e as obsessões em geral. Mas, haverá uma forma de melhorarmos as nossas vibrações pessoais, de modo a aprimorar a nossa sintonia espiritual?

Há um meio infalível, proposto por Kardec nas obras da Codificação Espírita: enriquecer o pensamento pela aquisição de conhecimentos (desenvolvimento da inteligência) e pela edificação dos sentimentos (desenvolvimento moral). É o auto-aprimoramento conquistado com esforço próprio, pelo bom direcionamento da vontade, aplicando o aprendizado na melhoria dos nossos relacionamentos e no desenvolvimento de nosso livre-arbítrio.

Quando pensamos e sentimos criamos um campo vibratório de energias ao nosso redor. O nível vibratório desse campo vai depender da qualidade de nossos pensamentos e sentimentos. Por isso quando Jesus disse: ”Vigiai e orai…”, estava nos alertando da nossa responsabilidade na criação do nosso campo vibratório. Quanto a isso nos alerta André Luíz:

Missionários da Luz- André Luiz psicografado por Francisco Candido Xavier.

“Somos, cada qual de nós, um ímã de elevada potência ou um centro de vida inteligente, atraindo forças que se harmonizam com as nossas e delas constituindo nosso domicílio espiritual. A criatura, encarnada ou desencarnada, onde estiver, respira entre os raios de vida superior ou inferior que emite, ao redor dos próprios passos, tal qual a aranha que se confunde nos fios escuros que produz ou da andorinha que corta os altos céus com as próprias asas. Todos nós exteriorizamos energias, com as quais nos revestimos, e que nos definem muito mais que as palavras.” (Libertação – André Luiz psicografado por Francisco Candido Xavier)

Quando alimentamos as nossas tendências negativas, desequilibramos os nossos pensamentos e sentimentos e consequentemente alteramos o campo vibratório abrindo verdadeiros “plugs”, sujeitos a influenciação de espíritos que vibram em baixa vibração energética, o que pode ocasionar consequências desastrosas para o nosso físico, mente e espírito.

“Assim como o corpo físico pode ingerir alimentos venenosos que lhe intoxicam os tecidos, também o organismo perispiritual  pode absorver elementos de degradação que lhe corroem os centros de força, com reflexos sobre as células materiais. Se a mente da criatura encarnada ainda não atingiu a disciplina das emoções, se alimenta paixões que a desarmonizam com a realidade, pode, a qualquer momento, intoxicar-se com as emissões mentais daqueles com quem convive e que se encontrem no mesmo estado de desequilíbrio. Às vezes, semelhantes absorções constituem simples fenômenos sem maior importância; todavia, em muitos casos, são suscetíveis de ocasionar perigosos desastres orgânicos. Isto acontece, mormente quando os interessados não têm vida de oração, cuja influência benéfica pode anular inúmeros males.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s