O enterro

Por ocasião de um “enterro” que Jerônimo Mendonça participava, quando o cortejo seguia para o cemitério, sua Kombi estava logo atrás. Os amigos retiraram sua cama e o levavam para fazer sua tradicional oração. Falar as últimas palavras ao desencarnado. Retirado o caixão, quando as pessoas se dirigiam para o local. Quando um alcoolizado que passava, vendo os amigos lhe carregando a cama, exclamou:

Nossa! Dois defuntos!

Esqueceram o caixão desse!

Ele aprendeu a não se revoltar com comentários infelizes.

Nesses momentos gostava de citar uma frase de Cairbar Schutel:

“Melindres é orgulho ferido”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s